KanbanLean

Temos visto nos últimos anos um crescimento de pessoas e empresas buscando alternativas para gerenciar demandas e projetos. Principalmente fora do ambiente de desenvolvimento de software ou tecnologia da informação.

Porém, muitos conceitos ainda não são tão claros para todos, ou ainda, causam certa ambiguidade ou confusão entre os envolvidos. Absolutamente normal. Faz parte do processo de evolução e comunicação quando se começa a trabalhar com novos métodos.

Pois bem, sem querer obviamente ser a última instância sobre a definição de termos, vamos apresentar alguns termos importantes sobre gestão de fluxo por meio do método kanban.

O método Kanban é um conjunto avançado de princípios e práticas combinados com artefatos para visualização do seu fluxo de trabalho. À primeira vista, parece ser uma maneira simples de mapear os estágios do seu processo de trabalho, mas há mais de metade de um século de teoria e experimentação que trouxe para o seu desktop.

A começar do começo (parece meio obvio, mas quando se trata de fundamentos, não temos alternativas!), vamos mostrar aqui a definição do que é kanban

A palavra kanban (com k minúsculo) significa literalmente “tabuleta” ou “cartão Visual”. No final dos anos 1940, tornou-se um termo para o sistema de gestão de inventário da Toyota e mais tarde evoluiu como um método de gestão de processos.

Sistema Kanban

O Kanban (com K maiúsculo), tratado aqui como sistema, originalmente concebido para ser um sistema de agendamento para fabricação enxuta (lean) e Just-in-time Manufacturing (JIT). Era um sistema de controle de inventário usado para a cadeia de suprimentos pelo engenheiro da Toyota, Taiichi Ohno.

O método Kanban

O Método Kanban para o trabalho do conhecimento e trabalho de serviço foi formulado por David J. Anderson em 2005. Ele combinou elementos da obra de W Edwards Deming, Eli Goldratt, Peter Drucker, e Taiichi Ohno. Incorpora conceitos como sistemas de pull, teoria da enfileiramento e fluxo.

Para o Método Kanban ser implementado, é necessário aplicar os seguintes Princípios e Práticas Fundamentais.Vamos a eles.

Princípios Fundamentais:

  • Comece com o que você faz agora
  • Concordo Para Perseguir Evolutiva Mudar
  • Respeite os papéis atuais, responsabilidades e títulos de trabalho
  • Incentivar atos de liderança em todos os níveis

Núcleo Práticas

  • Visualizar
  • Limitar Trabalho em progresso Wip
  • Gerenciar Fluxo
  • Fazer Políticas Explícita
  • Implementar loops de feedback
  • Melhorar colaborativamente, evoluir experimentalmente (usando modelos e o método científico)

Kaizen

Kaizen é a palavra japonesa para “melhoria contínua”. Ele evoluiu como um termo de negócios no Japão logo depois da segunda grande guerra mundial, descrevendo uma prática de negócios para melhorar os processos e eliminar os desperdícios, mais notavelmente na Toyota.

Quadro Kanban

Um Quadro Kanban é uma das ferramentas para implementar o método Kanban. O quadro é dividido em colunas irão representar seu fluxo de trabalho, com etapas bem definidas e filas claramente delimitadas entre as etapas dos processos.

Os quadros Kanban podem ser físicos ou eletrônicas. A ideia principal é visualizar o caminho das tarefas de solicitação para conclusão e ver onde estão os gargalos.

Raia

Raias são as divisões horizontais de uma placa Kanban, ajudando a otimizar o fluxo de trabalho. As colunas representam estágios e Raias categorizar o trabalho. Raias pode ser usado para representar equipes, classes de serviço, prioridade, etc.

Cartão Kanban

No método Kanban, os cartões representam visualmente itens de trabalho. Cada cartão é uma tarefa, movendo-se através das colunas no quadro Kanban. Os cartões (ou post it, quando em quadros físicos) contêm informações sobre o item de trabalho. Eles não são diferentes em tamanho, porque a ideia é quebrar um projeto em tarefas menores e completá-los rapidamente.

Wip

WIP ou trabalho em andamento é a quantidade de trabalho que está sendo iniciado, independentemente da coluna em que ele está atualmente.

Limites de WIP

Estabelecer limites no trabalho em andamento é uma estratégia para evitar sobreposição de tarefas e comutação de contexto ao se concentrar nas coisas importantes. Aplicar limites ao trabalho em progreesso (WIP) é a segunda prática do núcleo em Kanban e assegura um fluxo saudável. Na verdade, é o que faz ser um fluxo, ou seja, só há vazão de fluxo, só haverá gestão de fluxo com a limitação do trabalho em progresso.

Estes são alguns dos conceitos mais importantes envolvidos numa aplicação do Método Kanban. Em breve vamos trazer mais conceitos sobre este universo da gestão de fluxo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment